Você, administrador de condomínios já percebeu o aumento da complexidade na atual gestão condominial? Pois é, ela necessita cada vez mais de novas competências. Os desafios estão diversificados: Altos índices de fraudes e corrupção; altas taxas de inadimplência; aumento de furtos; moradores/investidores mais exigentes e insatisfeitos com o modelo atual de gestão; muitos conflitos interpessoais e de Interesse, novas leis trabalhistas, novas regras para o setor, ou seja, riscos e ameaças generalizados.

Diante desta enorme gama de necessidades, quais devem ser priorizados, conforme o novo orçamento, a serem executados no atual exercício ou na atual gestão?

Diante disto, hoje, vamos falar especificamente do desafio de acertar no estabelecimento das prioridades das demandas “estratégicas” do condomínio e consequentemente, na definição do Orçamento anual, discutidas na Assembleia Geral Orçamentária-AGO. Ponto este que é um dos maiores sofrimentos para muitos síndicos e momentos de tensão para os moradores e investidores:

– Xiii, lá vem aumento na taxa do condomínio!!!!

Por isso surgem diversos questionamentos: Como ele deve ser calculado? Quais os critérios deveremos levar em consideração? E por que estes critérios? Aquecimento da piscina, reforma da academia, portaria virtual ou pintura do prédio? Qual pode esperar?

Novamente aqui, vamos recorrer ao mundo empresarial que habitualmente utiliza-se de boas práticas de Governança e Estratégia.

Como as empresas definem os seus orçamentos? Como isso é levado ao conselho de Administração ou Presidência para obter aprovação?

É simples. Lá, eles se juntam por um certo período de tempo, com bastante foco e se utilizam de técnicas de avaliação de objetivos, metas, visões periféricas, comportamento externo, dentre outras.

Mas como tudo isso funciona?

Vamos lá.

Na definição do Planejamento Estratégico, cada departamento defende as suas ideias e teses, de acordo com o que eles irão contribuir com o crescimento da empresa ou com aumento de sua eficiência operacional. Na prática é assim, o time de Marketing vai solicitar R$ 1.000.000,00/ano, para que ele consiga executar todos os seus investimentos em projetos, treinamentos e ações que em contrapartida, farão com que a empresa aumente em 10% a sua base de clientes ou que aumente a sua participação no mercado, em 3%.

Portanto, pensar e planejar de forma estratégica é sistematicamente olhar para as causas e objetivos da organização naquele momento, selecionar e priorizar estas demandas, de forma racional e lógica, conforme os investimentos financeiros possíveis e que atendam obrigatoriamente os “sonhos” almejados no papel, para aquele tipo de negócio.

Por fim, consolida-se o orçamento geral, a partir de cada grupo orçamentário definido isoladamente e que vão atender um conjunto específico de benefícios, naquele período.

E dá para fazer a mesma coisa, em condomínios?

Claro que sim.

O processo é o mesmo em qualquer tipo de organização: Pública, Privada, do terceiro setor ou Condomínios, sendo estes 2 últimos, entidades sem fins lucrativos.

E para ilustrar todo este conceito, veja o exemplo de um Planejamento Estratégico de um condomínio comercial, estruturado com o Conselho de Administração, Síndico e Consultores externos:

Todo este esforço é uma questão de habituar-se às técnicas de Planejamento, Controle e Gestão, além de uma certa dose de disciplina e foco, no período.

Dado este contexto, os estrategistas condominiais obrigatoriamente também precisam se adequar a esta nova Era da Administração Condominial.

Sendo assim, novos conceitos e práticas de Gestão virão à tona. Governança Corporativa em condomínios é a “bola” da vez e uma excelente alternativa, para acertar o caminho: Mais Ética, mais Transparência e mais Eficiência.

E com certeza, todos sairão ganhando, conselheiros, síndicos, moradores/investidores e também o patrimônio.

Por isso, surgiu o Super Condomínios que é um conjunto de melhores práticas de Governança Condominial, com apoio de Tecnologia para integrar assuntos financeiros, riscos, manutenções, obrigações, opinião de moradores/investidores, obras, pendências do condomínio. Com o intuito de sinalizar as verdadeiras prioridades do condomínio, aos administradores e demais partes. Tudo de forma online, com visão completa, ágil, íntegra, única e simples, e melhor, total transparência e credibilidade, para as decisões seguras.

Até a próxima e muito sucesso no seu condomínio.

 

Família Super Condomínios

 

Deixe o seu comentário